A crise no turismo na Europa I (Dois exemplos Itália e Espanha)

Recentemente, estive em dois países atingidos pela crise econômica que se alastra no continente europeu. Na Espanha e na Itália. Pude perceber algumas semelhanças e diferenças que explicam algumas tendências atuais nestes dois países. 

A crise claramente afeta os dois países. Não espere, ao visitar um destes países, encontrar sinais de crise como você os vê no Brasil. Ao visitar um pais, seus olhos normalmente se fixam nas atrações turísticas e acredite, muita gente numa atração, é sempre muita gente numa atração. Não podemos a olho nu verificar se houve uma queda de 10, 20 ou 30 por cento, ou se há mais turistas do próprio país, ou estrangeiros, e etc., mas podemos perceber algumas mudanças de comportamentos.

O preço das atrações é aparentemente desconectado deste tipo de problema. Se um país está em crise, aumentará os preços das entradas das atrações, e se não está aumentará também, o percentual pode variar, mas é muito pouco provável que a diferença ultrapasse um valor confiável que um turista acidental (que não está frequentemente visitando este pais), possa auferir a esta causa. Normalmente não vamos regularmente ao país, e não conseguimos guardar se faz um ano ou três, e se o aumento de um ano a outro foi de cinco, ou se apenas o último foi de 15%. Mas existem outras formas de verificar isso.

Tirando o Vaticano, que realmente não conhece a palavra "crise", por motivos pouco ortodoxos, o resto da Itália, vê uma verdadeira crise de pessoas pedindo coisas ou tocando instrumentos em áreas publicas ou implorando para serem guias de pessoas que na era da internet não se "emocionam" muito por uma estória contada por uma pessoa, quando pode usar seu iphone ou outro equipamento para lhe dar informações mais precisas e muitas vezes mais talhadas ao seu interesse, sem ter que ficar perguntando ou esperando outras 10 pessoas, que muitas vezes, não tem o mesmo interesse. Línguas? Realmente, isso não apresenta mais os problemas que era há anos trás, toda informação pode ser encontrada em qualquer língua hoje em dia. 

Durante a crise, visitei a Espanha algumas vezes e pude perceber, o aumento de pedintes nas ruas, o fechamento ou a redução de escopo de algumas empresas de turismo, a falta de avanço no serviço prestado pela economia do turismo. Na Itália, o mesmo se passou, mas devo admitir, de forma mais tardia. A grosso modo me parece que a Itália está há menos tempo em crise aberta do que a Espanha, o que serviria como um bom medidor, ao menos de uma forma de pensar.

A Itália e a Espanha vêm atravessando essa crise há algum tempo, sempre me preocupo em pensar de que vive a economia de um determinado país, e ainda que a economia espanhola seja bastante forte e grande, suas principais fontes de renda, me pareciam pouco capazes de financiar tantas restaurações e obras quando do início do Euro. Isso se passou também, em outros países que também atravessam crise agora, fica minha dúvida se uma coisa não está ligada na outra, porque alguém tem que pagar a conta SEMPRE.