Em San Francisco, a cidade já é uma graça e aconchegante, passeios pela Golden Gate, ou em Union Square de bondinho já são bem agradáveis, e se você for um amante do vinho, pode ainda dar uma chegadinha em Napa Valey ou Sonoma, onde ficam os vinhedos. 

As filas são menores, e existem hotéis na porta, nos quais você não precisa de carro para entrar no parque. Vai dando uma caminhada que já te ajuda nos exercícios do dia (aliás, está comprovado que você anda aproximadamente 20 mil passos por dia em um parque). 

 

Um dos grandes stress de parque é o estacionamento. Primeiro que muita gente chega louca pra entrar no parque, ou com criança gritando e tal, e aí fica a dúvida: "Aonde eu parei o carro mesmo ?"; depois não há a fila da entrada do estacionamento, que normalmente te leva pra um lugar bem longe da entrada, te fazendo ter que pegar um transfer que normalmente é cheio e muitas vezes, demora, pois a fila pra ir é grande. 

 

Você chega à entrada, ainda anda um pouco e pronto está no parque. Isso eu já achei um pouco "quebra-diversão" aqui, mas imagine o seguinte: E na hora de ir embora ? Você anda até o local do transfer. Se for ao final do parque, a fila será grande, se for ao início, a fila será pequena, mas os intervalos serão maiores. Depois tem que lembrar em que parte do estacionamento você parou (quando você vai num só parque, é moleza, se for o terceiro dia de parque, você começa a confundir o local de ontem com o local de hoje), depois que saltar no lugar certo (boa sorte nisso), você ainda precisa achar o carro, porque de noite o estacionamento é diferente do que você tinha pensado, e pior a direita passou a ser esquerda, e a esquerda passou a ser direita, já que você está no percurso inverso. Graças a invenção do chaveiro controle remoto, você acaba achando o carro. Aí, entra, procura a saída (normalmente) não é por onde você entrou, acha e sai se não for à hora do parque fechar, porque senão tem outra fila. Aí, é só seguir o GPS e chegar ao hotel. Se tiver apertado, sugiro um pit stop no estacionamento ou no parque antes de sair. A pé, estando num parque na saída, você vai conversando e em 5 a 10 minutos chegou ao hotel e pronto ! Eu prefiro. Mas este post é sobre o Havai, não sobre isto

Outro passeio bem legal é Sausalito e Tiburon, onde existem alguns restaurantes bem interessantes e a vista de São Francisco é muito boa. 

O fuso é um dificultador e, portanto uma "quebrada" é uma boa estratégia. No Inverno deles, ou no verão nosso, o fuso pra Califórnia chega a ser de 6 horas, e normalmente mais duas para o Havaí, o que somam 8 horas de fuso. Recomendo uma parada em Los Angeles/San Francisco/San Diego pra chegar lá. Sempre tem coisa legal pra fazer na Califórnia. Há voos de Dallas também e de mais algumas cidades, porém, eles possuem menos atrações, porém dependendo do seu problema com o fuso pode ser uma quebrada também interessante. Eu prefiro a Califórnia (inclusive um voo de São Paulo direto pra Los Angeles agora pela American) que, em minha opinião, tem um "ambiente" muito agradável.

 

Assim, a entrada e saída pela Califórnia é normalmente minha opção preferida. Vale lembrar que de Los Angeles, existem muito mais voos do que de San Francisco e de San Diego, portanto considere isso como um detalhe a ser considerado na sua entrada/saída. Voos nos EUA, não costuma atrasar muito, mas se você precisar fazer um voo seguido pra ir embora, um lugar onde possuem mais voos, pode ser mais interessante na saída do que na chegada. 

 

O que eu recomendo, é entrar por San Francisco, onde as atividades podem ser menos radicais e você ainda não está no clima do Havaí, e voltar por Los Angeles, podendo até quem sabe, dar uma passadinha na melhor Disney de todas, a de Anaheim, onde o Park Hopper (ticket de entrada que te dá possibilidade de sair de um park e entrar no outro no mesmo dia), realmente faz sentido, pois você passa de um parque pro outro como quem atravessa a rua, e mais do que isso, os brinquedos mais interessantes estão quase todos lá também, e muito menos longe uns dos outros.

Um passeio bem legal, mas se possível com alguém que não bebe, pois eles têm uma espécie de lei Seca, que funciona por essa região. 

Havaí - Uma Viagem Imperdível 2 - Como chegar

Se preferir tem o passeio de Alcatraz, que pode ser vista do Pier 39, ou ser visitada ou apenas circundada, ou ainda tomar um sorvete no shopping da antiga fábrica da Girardelli. 

 

Alguns passeios mais longos, como Yosemite, que é o parque das Sequoias, são interessantes, pois o parque é lindo, mas demora pra chegar lá, ou ainda uma visita a Lake Tahoe, onde foram as Olimpíadas de Inverno de 1960, são interessantes, mas igualmente distantes. Vale lembrar que para Yosemite, se for visitar perto de um feriado é preciso marcar hora (existe um telefone que faz isso - deve ter um site também). Se o parque estiver cheio, os guardas não deixam entrar e não adianta o papo de brasileiro, não tem "jogo". Vai voltar... Um bom passeio também é o início do caminho pra Los Angeles, de onde se pode ver o Big Sur, ou ir até um pouco mais longe e chegar a Carmel ou Monterrey.

Em Los Angeles, tem o passeio pelo shopping aonde é gravado o Oscar, de onde se pode ver o letreiro de Hollywood. Há quem goste de ir mais perto, existe um caminho pelas montanhas, mas sinceramente, de longe já tá bom. Do lado do shopping fica o Teatro Chinês e a calçada da Fama. Ali já foi uma área perigosa, com o shopping ficou tudo resolvido, e há estacionamento (caro, mas há). Ainda há compras, praias e outros parques como a Universal (não é a do reino de Deus), alem de Beverly Hills (casa dos artistas pra quem gosta de fofoca) ou dar um passeio na Rodeo Drive.

San Diego, tem o Sea World como parque, San Diego downtown (Gaslamp Park), ótimos restaurantes, as praias como Coronado, e etc., e os passeios a Point Loma (Cabrillio - com uma vista deslumbrante da cidade) ou ao Zoo (Balboa Park). Um passeio bastante agradável também.

 

 

Ou seja, ô lugar bom pra se visitar !