Você deveria ter passado o número de sua roupa e de seu pé para que as roupas de mergulho estivessem disponibilizadas para facilitar. Uma contagem de lugares (até aí foi indo tudo bem); não haveria superlotação e todos pareciam felizes. Mas aí o passeio começou. 

O carro que veio nos buscar, um 4x4 de cabine dupla, muito confortável nos deu a impressão que seria um passeio muito legal.

 

 

Chegamos ao local da saída do barco. Um catamarã de fundo chato, onde assinamos um documento de responsabilidade em caso de problemas. Isso nos deixou um pouco preocupados, mas já viemos até aqui. 

Bom, ainda que as crianças tivessem alguém da tripulação perto, as baleias se movimentavam muito rápido e ficar perto era quase impossível, e como ventava muito, o barco não tinha condições de ir buscar as pessoas enquanto as outras não haviam entrado na água para verem os animais. Em outras palavras: as pessoas que entravam na água se desesperavam por que queriam voltar para o barco (muitas só de entrarem na água já afastavam os animais), mas ou ele era lento pra fazer as manobras, ou estava "perseguindo" algum tubarão baleia para alguém que ainda não tinha entrado na água.

Outro passeio que fizemos foi referente ao "Tubarão Baleia". Aqui cabe uma nota. O Tubarão Baleia é um tipo de baleia, grande e tranquila, que existe em alguns lugares. Poder nadar com eles, porém, é possível em poucos lugares, pela profundidade, mobilidade dos mesmos, etc. Há uma propaganda sobre se poder fazer isso no México e o lugar é aqui. A uma hora e meia de carro em uma estrada razoavelmente boa, passando pelo vilarejo onde existe o Hotel Califórnia da canção doa Eagles e tomando café num restaurante local.

Começamos a ir contra o vento em direção a uma praia do outro lado da baia onde estávamos passando por trás de prédios. Muito bonito mesmo. Mas o barco balançava muito devido ao vento. Em determinado momento, a tripulação nos instruiu a ficar preparados para entrar no mar, e nos passou alguns procedimentos de segurança, tipo, não chegue muito perto, não se distraia com a cauda, se ele nadar muito rápido não tente acompanhar, etc. E foi "jogando" as pessoas na água quando passávamos perto de algum dos animais.

Los Cabos 3 - Passeios - Erros e Acertos - Continuação

Algumas pessoas começaram a achar o pior e a se segurar no barco como se ele fosse naufragar. Esse momento catástrofe durou aproximadamente uns 35 minutos, até que todos cansados (a maioria ser ver baleia alguma) voltassem ao barco (Não houve feridos, mas me custa acreditar que todo dia, isso seja desse jeito e que nunca tenha tido acidentes - talvez por isso do documento). 

Nesse momento, o barco se posicionou ao lado de alguns animais e aí sim, de dentro do barco, pudemos apreciar o tubarão baleia. Um animal enorme e muito curioso. Nesse ponto o passeio foi muito bom. 

Isso me faz pensar o seguinte: como o ponto de encontro é longe, essa estória de nadar com os animais é mais um chamariz do que uma realidade. Afinal, quem entraria num carro, pagando caro por 3 horas (pelo menos hora e meia pra ir e outra pra voltar), para ver os animais perto do barco? Aha, mas quem pagaria pra "nadar" ao lado do animal? Ou seja, o verdadeiro passeio é ver o animal. Não espere mais do que isso. Agora, vale a pena só ver o animal? Sinceramente, vale.